Policiais militares e bombeiros entram na justiça para garantir recebimento do 13º salário

6 de dezembro de 2018 as 14:23

Além dos demais servidores do Estado que protestam pelo não pagamento dos salários, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros entraram na Justiça para garantir seus vencimentos. A Associação dos Oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (AOPMBM) impetrou um mandado de segurança preventivo, para garantir o pagamento do 13º salário.

Na ação, a associação pede que sejam suspensos os pagamentos de todos os fornecedores do Estado até que os recursos para pagamento integral do 13º salário estejam garantidos e quitados até dia 20 de dezembro.

De acordo com o Coronel Aílton Cirilo, presidente da associação, o mandado de segurança foi recebido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) no dia 27 de novembro.

Pelo Whatsapp, em grupos destinados à divulgação de ocorrências policiais, circula a informação de que militares poderão parar diante desse cenário.

Em resposta, a Associação dos Militares Estaduais Mineiros (Ámem-MG) divulgou nota que diz que  “Se os policiais militares escalados para conter o crime contra o comércio natalino não tiver respeitado seu direito de receber o 13° salário, é claro que não terão motivação para bem desempenhar seu papel, por mais profissionais que sejam” .

Nesta quinta-feira (6), servidores do governo de Minas fizeram um apitaço nos prédios da Cidade Administrativa. Os manifestantes protestam contra o atraso de pagamento da folha de novembro – que é paga em dezembro – e contra a falta de informações sobre o pagamento do 13º.