Babá é presa após agredir e trancar criança dentro de geladeira em Minas

A mulher disse estar ouvindo vozes do diabo, que estava tentando ela

Uma babá de 50 anos foi presa na segunda-feira (20), no Bairro Jardim Brasília, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, após vizinhos denunciarem que ela estava agredindo três crianças, inclusive teria colocado uma deles dentro da geladeira.

De acordo com a Polícia Militar (PM) as vítimas são duas meninas de 7 e 9 anos e um menino de 4, preso na geladeira.

A PM esteve na casa da mulher, após ser acionada por testemunhas. Ela se negou a abrir a porta, que foi derrubada por um vizinho. No local, os policiais se depararam com a suspeita sentada na cama.

Em depoimento, a mulher de 50 anos disse aos militares que estava cansada e queria dormir e, por isso, perdeu a paciência e agrediu as crianças. Ela ainda afirmou que estava sendo atentada pelo diabo e que ele estava falando coisas sem sentido para ela.

O irmão da suspeita, que tem necessidades especiais, também estava na residência. Durante a abordagem, uma das crianças chorava muito e estava bastante assustada. O menino de 4 anos foi encontrado na geladeira.

Testemunhas contaram que a babá agrediu a menina de 7 anos, jogando-a no chão e puxando seu cabelo dizendo que iria matá-la. Em seguida, ela pegou um cinto e bateu nas outras duas crianças, também as ameaçando de morte.

Ainda segundo a PM as crianças foram retiradas do local e acompanhadas pelo Conselho Tutelar até a casa de um homem, representante legal delas, que alegou que conhece a mulher e que ela tem problemas mentais.

O representante legal contou aos militares que deixou as crianças com a autora porque precisou visitar a esposa que estava internada.

O irmão da suspeita foi deixado na casa de uma das testemunhas.

A Polícia Civil informou que a Delegacia de Atendimento à Mulher instaurou o procedimento investigatório para apurar o fato e que a autora foi autuada em flagrante na Delegacia de Plantão, podendo responder pelos crimes de de sequestro e cárcere privado.