Câmara de Nova Serrana terá custo extra de R$ 50 mil

15 de maio de 2019 as 13:22

A Câmara de Nova Serrana tem até amanhã (16) para convocar os suplentes dos seis vereadores que foram afastados após uma ação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), na última semana.

De acordo com a presidente interina da Câmara, Terezinha Célia do Carmo (PTB), serão convocados Valter dos Reis Melo (PT do B), no lugar de Adair Lopes de Souza (Avante); Remirton José Pedro (PEN), no lugar de Juliano Marques Lacerda (PSD); Adalberto Gonçalves dos Santos (PC do B), no lugar de Valdir Rodrigues Pereira (PC do B); Sandro Moret de Souza Silva (PC do B), no lugar de Valdir Rodrigues de Souza (PC do B); Agnaldo Mendes Cordeiro (Pros), no lugar de Osmar Santos (Pros); e José Alberto Fonseca da Silva (Pros), no lugar de Gilmar da Silva Martins (PV).

Ainda segundo a presidente, após a nomeação, o Legislativo passará a arcar com a despesa de 19 vereadores ao invés de 13, o que vai render um custo extra de R$ 46,7 mil para a Câmara. A princípio, tanto os vereadores quanto os assessores que foram afastados vão receber normalmente os salários, que partem de R$ 2. 959, no caso de Assessor Parlamentar e chegam a R$ 7.784, no caso de vereador.    

Lembrando que o afastamento dos vereadores se deu após o MPMG cumprir 13 mandados contra parlamentares e assessores, em investigações sobre possível existência de funcionários-fantasma da Câmara da cidade, com salários entre R$ 1.600 e R$ 2.800 por mês. Os envolvidos devem responder pelos crimes de peculato (desvio de dinheiro público) e falsidade ideológica.