Final de semana sangrento com três assassinatos em Divinópolis

Final de semana foi sangrento em Divinópolis, com três assassinatos.

No primeiro, um jovem de 19 anos foi morto a tiros, no bairro Lagoa dos Mandarins, na noite de sábado (8). O crime aconteceu na rua Cassiano Eustáquio de Oliveira.

Segundo o boletim de ocorrência, os dois homens estavam em uma moto Honda CG 160 de cor vermelha, chegaram ao local, usando máscaras de palhaço, quando um deles desceu e atirou várias vezes na vítima. O jovem ainda tentou fugir em direção a um matagal mas foi alvejado por pelo menos 10 disparos.

A vítima tinha passagens por tráfico de drogas, furto, receptação e direção perigosa.

Já no bairro Espírito Santo, dois homens que também usavam máscara de palhaço assim como no homicídio no bairro Lagoa dos Mandarins, invadiram uma barbearia e mataram à tiros um homem de 32 anos.

Os autores, de acordo com informações repassadas à Polícia Militar, invadiram o estabelecimento e efetuaram vários disparos de arma de fogo contra a vítima. O homem tinha registro policial por porte ilegal de arma de fogo e roubo.

No mesmo local, um jovem de 25 anos, foi baleada no abdômen e socorrido para o Complexo de Saúde São João de Deus. Os dois aguardavam para cortar cabelo. Os autores fugiram estavam em um carro de cor cinza. A vítima sobrevivente tem registros por porte ilegal de arma de fogo, roubo, lesão corporal e tráfico de drogas. A Polícia Civil investiga uma possível ligação entre os dois crimes.

Já na noite deste domingo (9), um homem de 66 anos foi encontrado morto em sua residência localizada na rua Pau Brasil, no bairro Jardinópolis.

A perícia constatou uma lesão provocada, possivelmente por faca. A PM recebeu informações, de que ele havia se envolvido em uma briga devido à uma dívida de aluguel.

Após o ataque, os agressores fugiram pelo matagal que dá acesso à MG-050, nas proximidades do restaurante Cachoeiro.

Em nenhum dos três crimes, os autores ainda não foram presos.

Denúncias que possam ajudar nas investigações, podem ser feitas pelos telefones 190, da Polícia Militar ou 181, o Disque Denúncia Unificada. Não é preciso se identificar.