Itapecerica começa racionamento de água

20 de outubro de 2015 as 14:23

Começou no último sábado (17) o racionamento de água em Itapecerica. O único ribeirão que fornece água para a cidade está praticamente seco e o abastecimento de água ficou comprometido.

A confirmação veio do chefe de gabinete da prefeitura da cidade, Márcio Rodrigues, que afirmou que o revezamento está sendo feito por grupos de bairros. No dia em que um dos grupos fica sem água, outro recebe, com inversão da ordem no dia seguinte.

Procurada, a Copasa não falou do racionamento, nem deu parecer oficial sobre a captação de água e nem do nível do ribeirão Gama – único que abastece a cidade. A prefeitura, porém, admitiu o colapso do ribeirão e disse que a captação está por conta de dois poços artesianos construídos pela Copasa e pela prefeitura.

No entanto, a vazão é insuficiente para garantir o pleno funcionamento do sistema e, por isso, o racionamento foi adotado. Na nota, a Copasa disse que os problemas foram causados pela redução drástica do volume de água nos mananciais, devido ao prolongado período de estiagem e ao aumento do consumo por causa do calor.

Carmo do Cajuru

Outra cidade afetada pelos efeitos da crise hídrica é Carmo do Cajuru. Banhada pelo rio Pará, a cidade decretou estado de emergência em agosto e estipulou até multa de R$194 para quem desperdiçar água.

Na última quarta, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) declarou escassez hídrica na cidade, e determinou restrição de 20% na captação para consumo humano durante 30 dias, podendo ser prorrogada.

O Serviço Autárquico de Água e Esgoto (Saae) de Carmo do Cajuru, informou que ainda não será necessário implantar racionamento na cidade. O Saae já trabalhava com 80% de captação, o que se encaixa na determinação do Igam.

Administrador dos sistemas de gerenciamento da Brustin Creative Internet Agency