Nova plataforma de desaparecidos da Polícia Militar de Minas Gerais já pode ser acessada

Meninas de 12 a 17 anos são as que mais desaparecem das famílias em Minas Gerais. As adolescentes motivaram 6.738 registros de desaparecimento nos últimos cinco anos. É como se, por dia, três deixassem de retornar às residências.

Entre as motivações dos “sumiços”, estão violência doméstica e conflitos familiares.

Afim de reduzir o número de desaparecidos, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) lançou uma nova plataforma de transparência de informações de pessoas desaparecidas, e esse dado é uma das revelações. De acordo com a instituição, as adolescentes desaparecidas estão em maior número que o total de registros de todas as outras faixas etárias.

Em todas as faixas etárias, o sexo masculino predomina. Só dos 12 aos 17 anos é que as meninas adolescentes desaparecem mais que os meninos.

Nos últimos cinco anos, cerca de metade das adolescentes que desapareceram no Estado foram localizadas. Segundo a plataforma da Polícia Civil, o número corresponde a 55,6%, sendo 3.751 meninas das 6.738. É possível, ainda, que algumas tenham retornado, mas a família não notificou a instituição para cessar as buscas e a PC pede que se a pessoa voltou para casa, isso precisa ser informado à polícia.

A nova plataforma da PCMG mapeia, além do número de registros de desaparecidos, idade, gênero, motivação e local dos sumiços. O acesso está neste link (veja AQUI)