Operação conjunta do Ministério Público e polícias Civil e Militar prende principal suspeito de ameaçar deputadas mineiras

Uma força-tarefa composta pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Crimes Cibernéticos (Gaeciber), deflagrou em Olinda (PE), com apoio do Gaeco de Pernambuco, a terceira fase da operação “Di@na”.

A ação resultou na prisão do principal investigado pelas ameaças de estupro e morte contra as deputadas estaduais Lohanna França (PV), Bella Gonçalves (Psol) e Beatriz Cerqueira (PT). A identidade do homem não foi divulgada.

As investigações foram iniciadas em agosto de 2023, e as ameaças eram planejadas e executadas em fóruns e grupos na internet denominados “chans”. Nos locais, os integrantes incitavam a violência, pedofilia e necrofilia, e postavam imagens de estupros, assassinatos, multilações e conteúdos de abuso e pornografia infantil.

Durante a operação, várias medidas cautelares foram cumpridas, apreendendo dispositivos de informática nas casas de outros investigados. O homem preso nesta terça-feira (7) era apontado como o líder do grupo, que usava “Leon” e “Grow” como nome de usuário. Vários outros integrantes do grupo também foram identificados.

Além de ser o principal investigado como responsável pelos crimes cometidos contra as parlamentares mineiras, ele também coagia adolescentes e a se automutilarem e enviar fotos nuas.

Foram apreendidos computadores, telefones e pendrives com materiais ligados ao caso.

Por determinação judicial, o investigado será transferido para o sistema prisional de Minas Gerais, onde responderá ao processo.

O nome da operação, Di@na, vem da deusa da mitologia, que é a Deusa da caça e protetora das mulheres e crianças. O @ faz referência aos crimes cibernéticos investigados.

Receba as reportagens da Sucesso FM em primeira mão através do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/FY6eiEhen390iLLOqJLg3H11