Pai de Neymar vai pagar fiança de Daniel Alves

O pai do atacante Neymar pagará a fiança milionária de Daniel Alves, para que ele receba liberdade provisória, concedida nesta quarta-feira (20). Segundo o jornal “La Vanguardia”, da Espanha, o pai do camisa 10 da Seleção Brasileira se colocou à disposição de Daniel para atender às exigências da Justiça espanhola.

Desde a sentença, a advogada do ex-lateral, Inés Guardiola trabalhava para que a pena de quatro anos e meio em prisão pelo crime de agressão sexual fosse diminuída. Em acordo com o Tribunal de Barcelona, Daniel Alves receberá liberdade provisória após o pagamentode 1 milhão de euros (cerca de R$ 5,4 milhões). Além disso, ele terá os passaportes brasileiro e espanhol apreendidos, para evitar uma possível fuga.

Anteriormente, Neymar e seu pai já haviam ajudado financeiramente com o valor de 150 mil euros no processo enfrentado por Daniel Alves. A quantia foi usada no pagamento de uma indenização à vítima da agressão sexual, que também seria um atenuante para reduzir a pena do ex-atleta.

Liberdade concedida

Daniel Alves foi preso desde janeiro do ano passado em uma penitenciária da Espanha e aguardava o decorrer das investigações e o julgamento, ocorrido em fevereiro deste ano. Por isso, a defesa entrou com o pedido nessa terça (19), alegando que ele já havia cumprido um quarto da pena.

A Justiça da Espanha permitiu, nesta quarta-feira (20), a liberdade provisória do ex-jogador até o anúncio da sentença definitiva.

Em 22 de fevereiro deste ano, ou seja, há menos de um mês, Daniel Alves foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão. O ex-jogador estuprou uma jovem, à época com 23 anos, em uma boate de Barcelona, em dezembro de 2022.

Daniel Alves condenado

Além da sentença de quatro anos e meio de prisão, a decisão previa que Daniel Alves ficaria em liberdade supervisionada por cinco anos, após cumprir o período como detento. A juíza Isabel Delgado, da 21ª Seção de Audiência de Barcelona, também ordenou que ele ficasse afastado da mulher por nove anos e custeasse uma indenização de 150 mil euros (cerca de R$ 804 mil). Daniel também pagará as custas processuais.

A sentença considera provado que “o acusado agarrou bruscamente a denunciante, derrubou-a no chão e, impedindo-a de se mover, penetrou-a vaginalmente, apesar de a denunciante dizer que não, que queria ir embora”. E entende que “com isso se configura a ausência de consentimento, com o uso de violência e com acesso carnal”.

Em depoimento, o Daniel Alves chorou, disse que tinha consumido bebida alcoólica e negou ter estuprado a jovem.

Receba as reportagens da Sucesso FM em primeira mão através do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/FY6eiEhen390iLLOqJLg3H