Polícia Civil investiga morte de bebê no CSSJD

11 de setembro de 2019 as 15:11

O corpo da recém nascida que morreu logo após o parto, no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD), foi exumado nesta quarta-feira (11). A informação foi confirmada pela delegada, Adriene Lopes que investiga o caso.

Apesar da exumação, a delegada diz acreditar que o lado de necropsia provavelmente não deverá comprovar efetivamente a causa da morte, devido ao exame ter ocorrido três dias após o ocorrido.

Portanto, as investigações continuam para apurar, através de outras maneiras, o que de fato ocorreu. A delegada também declarou que a família procurou a delegacia nesta terça-feira (10).

O pai da gestante, de 20 anos, alega que o hospital agiu com negligência e segurou o parto e a paciente, os impedido de transferi-la para uma unidade particular e aplicando medicamentos para amenizar as dores e realizando exames de ultrassom.

A paciente deu entrada no São João de Deus em 31 de agosto, devido ao baixo líquido do bebê, porém os médicos a mandaram de volta para casa. Em um exame de ultrassom particular no dia 02 de setembro, o médico constatou que o parto deveria ser feito em até dois dias e através de uma cesárea.

Ainda segundo ele, a família voltou ao São João de Deus no mesmo dia e a gestante permaneceu no hospital até este último domingo (09), quando o parto foi realizado, mas a criança já estava morta.

O hospital garante que o bebê nasceu com vida, no entanto, morreu logo após o parto, após não responder aos cuidados habitualmente implementados. Em nota, o hospital lamentou o ocorrido, afirmando que irá analisar mais profundamente os procedimentos adotados.