Reajuste dos servidores estaduais: comissão aprova emenda de Zema, mas rejeita outras tentativas da oposição

Projeto de lei sobre reajuste dos servidores vai para segundo turno com índice de reajuste atualizado para 4,62%

O projeto de lei sobre o reajuste dos servidores do Estado de Minas Gerais deve ser votado em segundo turno na manhã desta quinta-feira (6), com índice atualizado para 4,62%. Nesta quarta-feira (5), a emenda encaminhada pelo governador Romeu Zema (Novo), e apoiada pelos 77 deputados estaduais foi aprovada na Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária (FFO).

O bloco de oposição apresentou durante a reunião da comissão uma emenda que autorizava o reajuste de 5,79%. O objetivo dos deputados era unir as duas emendas, para que o índice chegasse aos 10,67% desejados pelos servidores. Emendas similiares às apresentadas no primeiro turno, que previam gratificação aos servidores da saúde e pagamento retroativo em parcela única, também foram apresentadas.

No entanto, as propostas foram rejeitadas na comissão. As expectativas dos deputados é apresentar emendas semelhantes, novamente, durante o plenário em segundo turno, mobilizando os colegas para aprovação.

O líder do governo na Assembleia, deputado João Magalhães (MDB), afirmou que a apresentação de emendas por parte da oposição seria legítima, mas o governo já estaria no seu “limite”.

Apesar da mudança no índice de reajuste proposto pelo governador, os servidores estaduais seguem insatisfeitos e devem continuar com as mobilizações.

Funcionários públicos da educação, saúde e segurança pública compareceram em massa à votação na manhã desta quarta-feira (5). A expectativa das categorias é de uma mobilização ainda maior para a votação em segundo turno, cuja reivindicação é pelo índice geral de 10,67%. 

Durante a manhã, servidores das forças de segurança de Minas Gerais fizeram ato pelo segundo dia consecutivo contra o governo na portaria da Expominas, onde acontece o 39º Congresso Mineiro de Municípios, organizado pela Associação Mineira de Municípios.