Segundo LIRAa revela que Divinópolis segue com “médio risco de epidemia” de dengue

Índice ficou em 1,9%. Cerca de 93% dos focos encontrados estavam em residências

Foi divulgado nesta sexta-feira (24), pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) de Divinópolis, os dados do segundo Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa) de 2024, realizado no período de 13 a 17 de maio. A pesquisa foi realizada em 168 bairros, com 5.972 imóveis vistoriados. O índice de infestação médio do município ficou em 1,9%, o que significa “médio risco de epidemia”, segundo parâmetro técnico do Ministério da Saúde.

O 2º LIRAa demonstrou que 93% dos focos foram encontrados em residências e 7% em lotes vagos. Dos reservatórios predominantes, 13% dos focos estavam em recipientes passíveis de remoção (plásticos, latas, garrafas e pneus); 47% em depósitos móveis (bebedouros de animais, pratos e vasos de plantas); 10% em locais de armazenamento de água para consumo humano (caixa d’água, tanques, poços, tambores e manilhas) e 30% em depósitos fixos (ralos, caixa de passagem, sanitários em desuso e fonte ornamentais).

De acordo com o parâmetro técnico do Ministério da Saúde, índice de infestação entre 0 e 0,9% é considerado baixo risco de epidemia. Entre 1 e 3,9%, médio risco, com situação de alerta. Acima de 4%, possui alto risco de epidemia.

Os dados epidemiológicos do município até esta sexta-feira (24) são de 15.052 notificações de dengue. Desses, 11.622 foram confirmados e 480 foram notificados de Chikungunya, sendo que 130 foram confirmados. Dois casos de Zika foram notificados, entretanto, nenhum foi confirmado.

Na presença de algum sintoma da doença, procure atendimento em um estabelecimento de saúde para orientações e não faça uso de medicamentos sem prescrição. Para notificar e denunciar sobre os locais que possuem focos e reservatório do mosquito, basta ligar no número (37) 3229-6823.