Sindicância que apura morte de menina de 4 anos na UPA Padre Roberto é prorrogada

Foi publicado nesta terça-feira (4) no Diário Oficial dos Municípios, a extensão do prazo da sindicância administrativa aberta pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) para apurar os atendimentos recebidos por uma menina de quatro anos, que morreu na unidade no dia 26 de abril. A sindicância visa apurar um possível erro médico na unidade. 

Familiares afirmam que médicos sem especialidade estariam atuando na pediatria da unidade. O Conselho Municipal de Saúde (CMS) segue investiando o caso e alegou que uma das médicas que atendeu a menina não era pediatra.

O prazo terminaria no dia 2 de junho e foi prorrogado para o dia 17 de junho. Na publicação, a prefeitura justificou que o prazo foi estendido para que os trabalhos da sindicância pudessem ser conciliados com o cumprimento de agendas de atendimento assistencial dos profissionais.