Suspeito de agredir a esposa e estuprar a própria filha é morto pela PM

Depois dele ignorar as ordens dos policiais e partir para cima deles, o homem acabou atingido por disparos.

Um homem de 47 anos foi baleado e morto pela Polícia Militar (PM), na quarta-feira (5), depois de ameaçar os militares com uma faca no bairro Nova Contagem, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo a mulher dele, de 42 anos, ela sofria violência do suspeito há mais de 22 anos e era mantida em cárcere privado por ele nos últimos dias após a filha do casal, de 20, ter denunciado o homem por estupros sofridos desde a infância.

A PM foi chamada até a casa das vítimas, por volta das 14h30 de quarta. No local, se deparou com a vítima, que contou que estava presa dentro de casa pelo autor, que estaria bastante agressivo dentro da residência. Assim que os policiais entraram no imóvel, foram surpreendidos pelo suspeito, que saiu de um corredor com a faca na mão.

Depois dele ignorar as ordens dos policiais e partir para cima deles, o homem acabou atingido por disparos. Ele foi levado na viatura para a UPA Vargem das Flores, porém, pouco depois, teve a morte constatada na unidade de saúde.

Ainda segundo os militares, foi ai que a vítima de cárcere privado confessou aos policiais que estava casada há 22 anos com o homem e que, desde o período do namoro ela sofre violências psicológicas, físicas e, até mesmo, sexuais, já que em diversas ocasiões o homem a teria obrigado a fazer sexo sob ameaça dele matar ela e a filha.

Ainda conforme o relato da vítima, ele não aceitava o fim do relacionamento, ameaçava matá-la caso tentasse se separar e, ainda, dizia que só sairia de casa morto.

No boletim de ocorrência registrado após a morte do homem, a PM descreveu ainda que, há poucos dias, a mãe disse ter conversado com a filha e descoberto que ela também sofreu abusos do próprio pai desde a infância.

No último dia 24 de maio, a jovem teria procurado uma delegacia e registrado uma ocorrência por conta dos estupros praticados pelo pai, que ameaçava matar a mãe caso ela o denunciasse.

A perícia da Polícia Civil esteve no local e recolheu a faca usada pelo suspeito. As armas e os policiais envolvidos foram recolhidos e a Corregedoria acompanha o fato.